quarta-feira, 13 de setembro de 2017

FRANCISCO FELIPE DE ARAÚJO SAMPAIO

(Francisco Felippe d´Araujo Sampaio)

(183.º Aniversário de Nascimento. (66.840 dias).

(13-09-1834 - São Francisco de Uruburetama / 27 de outubro de 1902 – Castanhal (Pará)).



FRANCISCO FELIPE DE ARAÚJO SAMPAIO

Nascido na então vila de São Francisco de Uruburetama, hoje cidade de Itapajé, em 13 de setembro de 1834. Aos dezenove anos de idade seguiu para a Corte, onde se matriculou na Escola Militar. Concluído o curso, foi mandado para Belém a fim de montar um laboratório pirotécnico, conservando-se na capital paraense até 1865, quando partiu para o Paraguai, cuja campanha fez até os últimos instantes de 1870.
Voltando ao Ceará, ingressou na política, tendo sido deputado provincial, no biênio 1882-1883, aos 48 de idade. Seus companheiros de Câmara eram: 1 – Capitão Antonio Pereira da Cunha Callou, 2 – Capitão Arcádio Lindolfo d´Almeida Fortuna, 3 – Capitão Antonio Moreira de Souza, 4 – Capitão Antonio Antonio Gurgel do Amaral Valente, 5 – Padre Bernardino d´Oliveira Memória, 6 – Capitão Belizário Cícero alexandrino, 7 – Major Chrisanto Pinheiro d´Almeida Mello, 8 – Tenente Coronel Custódio Ribeiro Guimarães, 9 – Capitão Francisco Marçal d´Oliveira Gondim, 10 – Padre Francisco da Motta Souza Angelim, 11- Tenente Felippe d´Araujo Sampaio, 12 – Dr. Francisco Barboza de Paula Pessoa, 13 – Dr. Francisco Delfino Ribeiro Montenegro, 14 – Dr. José Antonio da Justa, 15 – Justiniano de Serpa, 16 – Padre José Joaquim Coelho da Silva, 17 – Dr. José Mendes Pereira de Vasconcellos, 18 – Tenente Coronel João Paulino de Barros Leal, 19 – Padre João Antonio do Nascimento Sá, 20 – Padre João Carlos Augusto, 21 – Alferes José Martiniano Peixoto d´Alencar, 22 – Major João Mendes da Rocha, 23 – Padre José Gonçalves da Costa, 24 – Capitão Luiz Januário Lamartine Nogueira, 25 – Capitão Miguel Soares e Silva, 26 – Martinho Rodrigues de Souza, 27 – Capitão Pedro Onofre de Farias, 28 – Capitão Pedro Jayme d´Alencar Araripe, 29 – Capitão Raymundo Vóssio Brígido dos Santos, 30 – Capitão Roseo d´Oliveira Jamacaru, 31 – Capitão Raymundo Carlos da Silva Peixoto e 32 – Padre Sizenando Marcos de Castro e Silva.
Ardoroso abolicionista manteve posição sempre avançada na batalha antiescravista, a ele devendo-se a libertação dos cativos do Ceará e, em especial, a de Itapajé,em 2 de fevereiro de 1883. Um fato que deve se exaltar é que, no ano de 1880, precisamente, conforme documentos disponíveis no Instituto do Ceará, cópias em meu poder, o apresenta como fundador da Sociedade Cearense Libertadora. Aos 8 dias de dezembro 1880 –– Quarta feira – Assim é relatado: - Funda-se, sob os auspícios da “Perseverança e Porvir”, a “Sociedade Cearense Libertadora”. O presidente da Província (42º) André Augusto de Pádua Fleuri - (2 de julho de 1880 a 26 de fevereiro de 1881) - não comparece ao ato inaugural da sociedade, tendo exposto a Antônio Martins, na audiência em que o recebe em Palácio, os motivos por que não iria à sollenidade. Adianta que era de esperar da Cearense Libertadora e que tinha boas esperanças de que o Ceará fosse a 1ª. Província emancipada. Na festividade, realizada na Assembléia, fazem-se ouvir José Moreira do Amaral, Antônio Martins, Gonçalo de Almeida Souto, o secretário da Beneficente Portuguesa 2 de Fevereiro, João Batista Perdigão de Oliveira (poesia), Papi Junior, Frederico Borges, Farias Brito, Francisco Dias Martins (poesia), Padre Dr. João Augusto da Frota, Dr. Guilherme Studart (Barão de Studart), Antonio Bezerra de Menezes e FRANCISCO FILIPE DE ARAUJO SAMPAIO – o grifo em maiúscula é meu - e, por fim, o Presidente. Este apresenta à Assembléia os nomes escolhidos pela “Perseverança e Porvir” para formar a diretoria da “Cearense Libertadora”: Presidente João Cordeiro; vice José Moreira do Amaral; 1º secretário, Frederico Borges; 2º, Antônio Bezerra de Menezes; advogados, Dr. Manuel Ambrósio da Silveira Torres Portugal e cap. Justino Francisco Xavier; tesoureiro, cap. João Crisóstomo da Silva Jataí; procuradores, José Caetano da Costa, João Carlos da Silva Jataí, João Batista Perdigão de Oliveira e Eugenio Marçal. São Libertados três escravos. Inscrevem-se 227 associados. Tocam as bandas de Música, do 15º Batalhão e da Polícia. Os libertadores usam criptônimo e na correspondência interna empregam uma espécie de código”.
Abandonando a política, entregou-se com entusiasmo, aos ideais altruísticos, de fundo sinceramente humanitário, em especial junto aos cristãos, já que era católico fervoroso. Graças às suas iniciativas e à sua tenacidade é que foi instituída, em Fortaleza, a Sociedade de Senhoras de Caridade. Felipe Sampaio era sem dúvida um filantropo de marca maior. No ano de 1885, precisamente no dia 15 de agosto - Sábado, participou da equipe de homens que criaram a Conferencia de São Vicente de Paula. A comissão inicial foi formada por: Padre Pedro Cavalcante Rocha, Antonio de Salles Sobrinho, Rufino Ferreira de Araújo, Francisco Pinto de Mesquita, Francisco de Souza Barreto, Joaquim de Souza Santos, João Ferreira de Araujo, João Marques Carvalho, José Florindo da Silva, Viriato Aprígio Bezerra, Vicente Alves da Silva, Felipe de Araúujo Sampaio e Saturnino Borges de Freitas. Instalada a sessão e revelado seus objetivos, vieram os discursos de apoio e promessas em trabalhar em prol pela qual tem objetivos tal entidade. Presidiu por longo tempo a Sociedade de São Vicente de Paulo - do Ceará, em Fortaleza.
Mudando-se para Pernambuco, Recife, continuou ali a mesma atividade generosa, ao mesmo passo que exercia a sub-gerência da Companhia Ferro Carril. A convite desta transferiu-se para Belém, onde exerceu o cargo de Chefe do Tráfego da Companhia Urbana Paraense. Faleceu na Cidade de Castanhal em 27 de outubro de 1902.
Possuía todas as medalhas de campanha do Brasil, Uruguai e Argentina. Um de seus filhos, em segundas núpcias com D. Paulina Braga, é José Maria Sampaio, muito conhecido no Rio de Janeiro, pelas suas habilidades artísticas. Felipe Sampaio era filho de José Andrade Sampaio e de Vicência Ferreira. (Nota: A respeito da filiação desse herói da Libertação dos Escravos, cabe aqui fazer algumas observações: Segundo o livro de levantamento genealógico, de autoria de Francisco de Andrade Barroso, edição de 1990, páginas 46 e 58, constam que Francisco Felipe de Araújo Sampaio era filho de Gonçalo de Andrade Sampaio, nascido em 30 de junho de 1774 e falecido em 19 de março de 1857). Já sua mãe era Matilde da Rocha Furtado (ou Matildes Teresa da Conceição). Consta também na página 58 do mesmo livro, que Felipe Sampaio teria casado em 15 de julho de 1863, com Jesuína Leal de Menezes Bastos, falecida em agosto de 1900, era filha de Francisco Teixeira Bastos e Luísa da Encarnação Bastos, ele o primeiro representante da família Bastos nesta região. (Pesquisa: Ribamar Ramos).


PENSAMENTOS DO DIA

“Nada no mundo se compara à persistência. Nem o talento; não há nada mais comum do que homens malsucedidos e com talento. Nem a genialidade; a existência de gênios não recompensados é quase um provérbio. Nem a educação; o mundo está cheio de negligenciados educados. A persistência e determinação são, por si sós, onipotentes. O slogan "não desista" já salvou e sempre salvará os problemas da raça humana.” – Calvin Coolidge

POR HOJE É O QUE TENHO PARA CONTRIBUIR, MESMO QUE MODESTAMENTE, PARA UM MELHOR CONHECIMENTO DA HISTÓRIA DE ITAPAJÉ. 


“NÃO FOMOS, NÃO SOMOS, E NUNCA SEREMOS 
ESQUECIDOS”
"NON FUIMOS, NON SUMUS, ET QUI NUNQUAM OBLITI ERIMUS"
(Ten. Cel. João Paulino de Barros Leal - Presidente da Assembléia Legislativa do Ceará, período 1887-1888)

"Quanto a mim escrevo até este ponto; o que depois se passou, talvez outro queira tratá-lo". - Xenofonte.


Por hoje é só! Voltaremos em uma próxima oportunidade!

 (José) Ribamar Ramos
Fort. 13 de setembro de 2017- Quarta feira
Bom noite - Boa dia

Fontes e Agradecimentos:

* Pequena Cronologia de Itapajé - Ribamar Ramos

A Genealogia de Itapajé – Hélio Pinto

* Raymundo Rebello - (descendente de Felipe) 

Francisco de Andrade Barroso - `Os Barrosos´.

* Hugo Victor Guimarães - Deputados Provinciais e Estaduais do      Ceará - 1834 -1947.


PESQUISA e ICONOGRAFIA:
- Ribamar Ramos 

Blog da História de Itapajé – www.itapagece.blogspot.com.br  
FaceBook: Ribas Ramos

JOSÉ RIBAMAR RAMOS

WWW.ITAPAGECE.BLOGSPOT.COM.BR 

WWW.TAPERUABA-CE.BLOGSPOT.COM.BR/

domingo, 13 de agosto de 2017

TEÓFILO RAMOS NETO
DIAS DOS PAIS 2017
(13 de agosto de 2017)



Gostaria de registrar, como muito carinho, esta: DIA DOS PAIS 2017.
Teófilo Ramos Neto - meu pai (Ribamar Ramos e mais 12 outros irmãos). Teofim, como era mais conhecido exerceu a nobre e magnânima missão de ajudar. Foi até a década de 1990, um dos principais farmacêuticos de Itapajé e região. Igual trabalho exerceu, também, em Taperuaba. Em nome da família, agradeço aos amigos (e Vereadores) de Itapajé, pelo reconhecimento de seu trabalho, dando seu nome a uma Rua em um importante bairro de ITAPAJÉ. Taperuaba, infelizmente, ainda não soube reconhecer os anos de dedicação ao "servir". Obrigado a todos. (* 13-01-1904 + 11-11-1998).

Parabéns para todos os Pais!

1928

1946

1988 



 1973

CERTIDÃO DE CASAMENTO 
TEÓFILO RAMOS NETO e MARIA BASTOS RAMOS
Em 27 de julho de 1929 


 27 de julho de 1929

1980 
1998

2012

Brevemente farei uma postagem completa, com uma detalhada biografia de Teófilo Ramos Neto. Por hoje, 13 de janeiro de 2016 é o que tenho, para contribuir com nossa História.


FONTES:
- Pequena Cronologia de Itapajé (e Taperuaba) - Ribamar Ramos
- Fotos: Arquivo Pessoal de Ribamar Ramos 
- Pesquisa: Ribamar Ramos 
- Agradecimento especial ao primo Rarison Mendes


Blog da História de Itapajé e Taperuaba:

www.taperuabace.blogspot.com.br 

FACEBOOK: Ribas Ramos

© Ribamar Ramos

JOSÉ RIBAMAR RAMOS

WWW.ITAPAGECE.BLOGSPOT.COM.BR 

WWW.TAPERUABA-CE.BLOGSPOT.COM.BR/

(FAZER CONTATO NO INBOX DO FACEBOOK)


Ribamar Ramos         
 Bom dia / Boa noite.      
Fort.  13 de Agosto de 2017
(Filho caçula (13º.) de Teófilo e Mariquinha

domingo, 30 de julho de 2017

P A R A B É N S !

PASCOAL - DO ITAPAJÉ - RIOS OSTERNE

Monsenhor Pascoal

(31 de Julho de 1937 / 31 de Julho de 2017)

80 anos

(29.220 dias)


P A R A B É N S !

PASCOAL - DO ITAPAJÉ - RIOS OSTERNE





ANIVERSÁRIO DE 80 ANOS


(29.220 dias)


PEQUENO RESUMO BIOGRÁFICO

PADRE PASCOAL RIOS OSTERNE

PASCOAL RIOS OSTERNE - Iniciou seus estudo preparatórios na Escola Cura D´Ars, em Itapipoca. Posteriormente transferiu-se para o Seminário da Prainha, em Fortaleza, fazendo os cursos de Humanidade, Filosofia e Teologia, ordenado Sacerdote no dia 15 de agosto de 1964, por Dom José Medeiros Delgado.
Assume em 1965, como vigário cooperador, nas Paróquias: Capistrano de Abreu, Baturité e Itapiúna, junto com o Pe. Eduardo Fialho. Foi o 3º Vigário de Irauçuba de 1966 a 1977 e, posteriormente, cooperador do Pe. Manuel Lima e Silva, de Itapajé.
Quando vigário de Irauçuba, lá construiu a atual Igreja Matriz. Em 1970 foi nomeado por Dom Delgado, vigário de Assunção (Itapipoca). No ano de 1976, seis anos após ser vigário em Assunção, foi para Fortaleza, onde ocupou o cargo de Capelão da Escola de Aprendizes Marinheiros e também vigário do bairro Henrique Jorge.
Com a criação da Diocese de Itapipoca, seu primeiro Bispo, Dom Paulo Eduardo Almeida Ponte, o chamou para assumir o cargo de vigário (15º.) da Catedral de Itapipoca, no período de 1979 a 1982. No ano de 1981, divide seus trabalhos com a Paróquia de Assunção.
Em 1982, com o falecimento do vigário de Itapajé, Pe. Manuel Lima e Silva, Pe. Pascoal fica dando assistência provisória, assumindo depois o pastoreio como Vigário Titular, em dezembro de 1982. Padre Pascoal é sem dúvida, um homem determinado e grande “construtor de Igrejas”; construiu a de Santa Rita, no bairro de mesmo nome, a de São Pedro, no bairro Pedras Brancas, a de São Sebastião, no bairro Esmerino Gomes (Exposição), auxiliou na construção das capelas de Oiticica, Jorge e, ultimamente, a do bairro Bela Vista, sendo um dos principais torcedores para que fosse construída uma capela no bairro Ferros. Abaixo veremos algumas informações adicionais, sobre o “mais querido Pároco, de todos os tempos!
Já encaminhou diversos jovens ao seminário, entre eles os atuais padres: Arão Aldo, João Batista e muitos outros. Em junho de 1998, incentivou o jovem Joviniano, fazendo-o estagiar (morar) na Casa Paroquial. Com isso esperava, brevemente encaminhá-lo ao seminário. No entanto, após algum tempo esse jovem desiste da intenção de tornar-se padre.
Fica, no entanto, à certeza de que Padre Pascoal tenha sido o mais convincente incentivador de jovens ao Sacerdócio.
Também em 1988, já Vigário Geral da Diocese, deu ainda assistência a Paróquia de Uruburetama. Já foi Reitor do Seminário Menor João Paulo II, de Itapipoca, que também o construiu. É coordenador da Liturgia Diocesana e, durante dois anos, foi membro da C.R.C. – Renovação Carismática Cristã.
Padre Pascoal, atualmente – 2013 é Monsenhor. É filho do Sr. Manuel Osterne e D. Inês Rios, nasceu em 31 de julho de 1937. Foi batizado em 11 de setembro de 1937, foram seus padrinhos o Sr. Francisco Neves Osterne e Sra. Maria Giffony Rios. Dona Inês, sua mãe, com certeza merece os méritos de tê-lo encaminhado à vida religiosa, pois essa distinta senhora é católica fervorosa e pessoa de muito fino trato.
Foi ordenado Padre, como visto acima, em 15 de agosto de 1964, completou 25 anos de vida sacerdotal, Jubileu de Prata Sacerdotal, em 15 de agosto de 1989. Em junho de 1998, já conta 34 anos, como padre. Aproxima-se à data de seu Jubileu sacerdotal, no próxima ano de 2014. 
Itapajé tem muito orgulho de “seu eterno” padre. Reconhece não ter o hábito de visitar mais amiúde de visitar seus amigos e paroquianos. Tem certeza, no entanto, de que é muito querido por esses. Conta entre seus amigos, com muitos “irmãos” de outras religiões.
Para a grande surpresa de toda comunidade, dia 4 de janeiro de 1999, recebemos, infelizmente, no primeiro momento, a notícia, dada por terceiros, de que Pe. Pascoal se transferiria para Uruburetama. De fato a notícia, triste mas, verdadeira, se confirmou, pois nesse mesmo dia, saiu de Itapajé.
Essa atitude, a princípio magoou muito seus amigos e, principalmente, aos seus parceiros de tantas lutas dentro das diversas Pastorais, por ele criadas. Dizia sempre que “ele tinha as idéias, os fiéis as executavam”.
A triste, porém verídica notícia, logo em seguida foi confirmada, Pe. Pascoal sairia de Itapajé, e isso espalhou-se, como um rastilho de pólvora! Ninguém acreditava ser verdadeira. Todos nós esperávamos de Pe. Pascoal, um comunicado, no mínimo, alguém indicado por ele o fizesse. Será que a comunidade, o seu rebanho, estaria exigido muito? Acho que não! Merecíamos receber o mínimo de atenção de quem amamos tanto, onde permaneceu por tanto tempo, desde 1982. A seguir à Carta de despedida:

Itapajé, 9 de janeiro de 1999.

“Caros ex-paroquianos.

Meus cabelos brancos, minha idade, meu instinto de defesa me aconselharam a procurar a menor Paróquia da Diocese. Assim o fiz. Propus ao Sr. Bispo um bairro pequeno e pobre de Itapipoca chamado Violete. O Sr. Bispo concordou. Depois, conveniências diocesanas me levaram à Paróquia de Uruburetama.
Itapajé é a melhor Paróquia da Diocese. É muito viva, seu povo muito participativo e as raízes das famílias são muito religiosas. Este desafio só pode ser enfrentado por um padre mais novo.
Vou jogar no time daquele do qual a Bíblia diz: “Entre os filhos de mulher nenhum foi maior que João Batista”. Mas vou jogar com a camisa daquele que foi a personalidade do milênio. Vai ser uma camisa marrom, escrita nas costas. “Aqui a coisa e pesada”.
Seria bom uma missa de despedida. Mas vocês sabem que sou muito chorão e não suportaria.
Agradeço a todos o acolhimento, a compreensão, a paciência e a generosidade.  Agradeço,sobretudo, ao Conselho Paroquial, às Irmãs, às Pastorais, às Capelas e Comunidades de base.
Prometo não cortar o cordão umbilical. Vou só esticá-lo até Uruburetama, que é muito perto daqui.
Talvez, inconsciente, desagradei a alguém. Peço perdão. Vão ser meus sucessores: Pe. Aldo e Pe., Marques. Pe. Aldo assume por 2 meses enquanto o Pe. Marques volta das férias. Peço que o mesmo apoio que me deram, dêem a eles.
Espero-os do outro lado da serra”.

Pe. Pascoal Rios Osterne.

Foram 29 anos de uma convivência estável e harmoniosa com o povo de Itapajé. O maior motivo para surpresa, foi devido a forma brusca e inesperada de sua saída. Ninguém esperava seu desligamento de nossa Paróquia, principalmente devido a simpatia e respeito que gozava entre seus paroquianos.
Pe. Pascoal, durante as festas do padroeiro e em outras festividades, costumava dizer que a comunidade de Itapajé era muito solidária com os trabalhos da Paróquia, pois sempre se colocava em total disponibilidade para prestar quaisquer serviços que fossem necessários para o bom andamento dessas efemérides. 

Hoje, 31 de julho de 2013, entendemos os motivos que levaram a não despedir-se da comunidade. Com certeza,  Pe. Pascoal não suportaria uma despedida, de tantos amigos, conquistada com amor e carinho, sem muito sofrer. “Seus cabelos branco representam, para todos nós, seus amigos e eternos Paroquianos” e, especialmente para minha família: Ribamar, Socorro e Paulo Tadeu, a sabedoria, a paciência e a mansa humilde, por todos nós testemunhada.
Obrigado “Velho Padre”, por tudo que nos ensinastes, principalmente por ter conseguido conscientizar uma grande quantidade de leigos, para se integrarem à vida de nossa igreja. Sua persistência e determinação serviu-nos de exemplo e de bússola.
Quando das Comemorações do Jubileu de Ouro Sacerdotal  - 15 de agosto de 1964 / 15 de agosto de 2014, o Radialista José Ivo Magalhães fez a entrevista abaixo. Agradeço ao amigos José Ivo e Ana Maria Xavier, pelo material, ora postado.

JUBILEU DE OURO SACERDOTAL

(15 de agosto de 1964 / 15 de agosto de 2014)

MONSENHOR PASCOAL RIOS OSTERNE



 "Sacerdote de Cristo, nascido aos 31 de julho de 1937, na cidade do Marco (CE), filho de Manoel Osterne Filho e Inês Rios Osterne. É o 3º de 11 irmãos.
Ingressou no Seminário Provincial de Fortaleza em 1948, onde cursou o 1º e 2º graus. De 1958 a 1960, cursou o 3º grau na Faculdade de Filosofia do Ceará.
Foi ordenado Sacerdote no dia 15 de agosto de 1964, por D. José de Medeiros Delgado, na Igreja do Seminário da Prainha – Fortaleza.
Seu primeiro trabalho como sacerdote foi em Baturité, Capistrano e Itapiúna como vigário-cooperador do Pe. Eduardo Fialho (1964-1965).
Em 1966 assumiu a Paróquia de Irauçuba como pároco e concomitantemente como vigário-cooperador do Pe. Lima em Itapajé.
Em 1970 foi nomeado Pároco de Assunção.
Em 1976 assumiu a patente de Capelão da Escola de Aprendizes Marinheiros em Fortaleza, e, paralelamente, a Paróquia de Henrique Jorge.
Em 1981, dada a crise de escassez de padres pela qual passava a Diocese, Pe. Pascoal voltou a Itapipoca, assumindo, desta vez, a Paróquia N. S. das Mercês – Catedral (Pároco) e Vigário Paroquial da Paróquia de Assunção.
Em julho de 1982, com o falecimento do Pe. Lima, Pe. Pascoal voltou a Itapajé, desta vez como Pároco, onde permaneceu maior parte de sua vida sacerdotal, período este que durou até 4 de janeiro de 1999 (16 anos e 5 meses).
Em 1998, quando ainda pároco de Itapajé, Pe. Pascoal foi nomeado Vigário-Geral da Diocese de Itapipoca, permanecendo até o final do episcopado de D. Benedito.
Em 2006 assumiu a função de Vigário Judicial e Membro do Conselho Econômico.
Foi membro do Colégio dos Consultores da Diocese de 1983 a 2003.
Integrou o Conselho Presbiteral no período de 2001 a 2012.
Construiu e foi Reitor do Seminário João Paulo II, em Itapipoca.
No dia 9 de janeiro de 1999, assumiu a Paróquia de São João Batista em Uruburetama, onde permanece até hoje.
Pe. Pascoal se destaca ainda como um exímio educador, voltado para o social e a formação da pessoa humana. Quando pároco de Irauçuba, preocupado com a situação dos jovens, tomou algumas iniciativas com o intuito de incentivá-los a se qualificarem para uma profissão, como cursos breves e profissionalizantes, cujo lema era: “Uma profissão para cada jovem”.
Por onde passou, procurou proporcionar meios de incentivo à educação, esporte e trabalho. Sempre com o objetivo de oferecer ao povo de Deus um lugar próprio para se reunir, empenhou-se em construir Igrejas. Por onde passa, sempre procura motivar bastante as pastorais, movimentos e serviços. Registra-se ainda como destaque relevante em sua vida sacerdotal a descoberta e incentivo às vocações para o sacerdócio. Teve a alegria de encaminhar ao seminário vários jovens, dos quais 12 são padres hoje.
Esse é, portanto, um fato importante em sua trajetória, pois, quando alguém lhe pergunta se é feliz como padre, ele responde: “Já encaminhei ao seminário vários jovens. Prova de que, se não fosse feliz, não incentivaria as vocações!”. Destes, 12 já são padre: Marques, Juvemar, Ribamar, Messias, Aureliano, Arão, Joaquim, Flávio, Júnior (Jesuíta), Jorge e Gilvan (Orionitas), Raimundo Nonato e Ednaldo, este a ser ordenado no final do ano.
Também vale ressaltar aqui a oportunidade de estágio que ele possibilitou em sua casa/paróquia a alguns diáconos e padres: Pe. Ribamar, Pe. Arão, Pe. Aldo, Diác. e Padre Adelino, Ailton, Agenor e Marciano.
Como educador nato, fundou em Irauçuba o colégio Paulo Bastos, do qual foi diretor e professor. Em Itapipoca, atuou como professor no Colégio Estadual Joaquim Magalhães. Em Itapajé, exerceu a função de diretor e professor do Centro Educacional São Francisco de Assis (CESFA), do Patronato São José e do Grupo Escolar Monsenhor Catão. Já em Uruburetama, sendo ele professor efetivo do quadro da SEDUC, exerceu o magistério na Escola Mathilde Vasconcelos.
Ainda em Itapajé, Pe. Pascoal deu total apoio à abertura da Casa de Formação das irmãs da Congregação Cordimariana, com as quais guarda ainda um estreito laço de amizade.
Algumas virtudes são marcantes na pessoa do Pe. Pascoal. Dentre elas, destaque para: dedicação incansável ao serviço pastoral, zelo apostólico, diálogo franco com todos. Além disso, é uma pessoa extremamente acolhedora, sabe se relacionar bem com todos os que dele se aproximam, é comunicativo, alegre, extrovertido e sempre está de bem com a vida.

Seu lema sacerdotal: “Fui encarregado de anunciar a Palavra de Deus” (Col. 1,25).

Seu slogan: “Quanto pior, melhor”.

Amigo: Pe. Queiroga.

Padroeira: Santa Rita de Cássia.

Orgulho: “Nunca deixei de atender a uma confissão de enfermo!”.

Frase: “Não canso com nada”.

Entretenimento: futebol (jogar, assistir), leitura, música (tocar, ouvir, cantar), vida no campo.

Times: São Paulo, Fluminense e Fortaleza.

Lembrança: Amizade e convívio com o Pe. Lima.

Virtude: Acolher bem a todos.

Palavra: Trabalho.

Jargões: “Gente boa”, “A festa só é boa quando se assiste da bandeira à procissão final”.

Viagem Inesquecível: Jerusalém (Terra Santa).

A vida do Pe. Pascoal pode ser parafraseada no que escreveu Euclides Carneiro da Silva: “Conto meus dias pelas bênçãos que espalho, pelos perdões que distribuo. Eu tenho a idade do amor”.

Entre as construções administradas por ele:
- Em Itapipoca: 
Seminário João Paulo II e Capela de S. Cura D’Ars.

- Em Itapajé:
Capelas de: Santa Rita, São Sebastião, São Pedro (Bairro Pe. Lima), Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Rosário - Serrote do Meio, São Pedro (Serra), Nossa Senhora do Carmo – Salitre e Espírito Santo – Serra.

Exerceu ainda grande influência na construção das capelas de Nossa Senhora das Graças – Oiticica, São Judas Tadeu – Bairro dos Ferros, e São José – Bairro Barateiro.

- Em Uruburetama
Capelas: da Esperança (Cemitério), Sagrada Família (Comunidade Pau Alto), N. S. Aparecida (Comunidade Manuel Rodrigues), Santa Rita (Comunidade Bananal), N. S. da Conceição (Comunidade Araçás), São Francisco (Bairro da sede).

Concluiu a capela de São José (Bairro Angelim) e está construindo a de N. S. de Fátima (Comunidade Barrica).

E com a finalidade de melhorar as condições de acolhida das pessoas, principalmente para as reuniões das pastorais e movimentos, Pe. Pascoal também assina como responsável pela construção do Salão Paroquial da Catedral (acima da Sacristia), pela reforma e ampliação da Casa Paroquial e do Salão Paroquial de Itapajé, bem como pela Casa e Salão Paroquiais de Uruburetama.

PEQUENA ICONOGRAFIA








  

















































MONSENHOR PASCOAL RIOS OSTERNE

ANIVERSÁRIO NATALÍCIO:

NOSSAS HOMENAGENS AO MONSENHOR PASCOAL RIOS OSTERNE

“TÚNEL DO TEMPO DA HISTÓRIA DE ITAPAJÉ”
FATOS E EFEMÉRIDES DE ITAPAJÉ
31 DE JULHO de 1937

Receba um forte abraço de seus amigos e “Eternos Paroquianos de Itapajé”, nesse tão importante dia, para você, seus familiares e amigos.


MONSENHOR PASCOAL RIOS OSTERNE

ANIVERSÁRIO NATALÍCIO

31 de Julho de 1937 / 31 de Julho de 2017

(80 Anos = 29.220 dias)

PARABÉNS!



Por hoje é o que tenho para contribuir, mesmo que modestamente, para um melhor conhecimento da História de Itapajé, Itapipoca, Uruburetama (e Ceará). Agradeço, em especial, a amiga Ana Maria Xavier e a amigo Juscelino Bonfim E  JOSÉ IVO MAGALHÃES, E OUTROS AMIGOS QUE atenderam minha solicitação sobre o envio de informações e fotos, por e-mail e na internet. Um abraço. Ribamar Ramos. Fortaleza, 31 de julho de 2017. - (80º. aniversário natalício de Pascoal Rios Osterne -  Monsenhor Pascoal. 


PENSE NISSO

"Grandes homens são os que fazem a diferença na vida de alguém. São os que sabem semear o jardim das afeições com as delicadas flores da atenção e da presença, nos momentos mais marcantes ou decisivos das suas existências".



FRASE DE HOJE

“Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só”. Amyr Klink
"Que nada de falso seja dito, nada de verdadeiro seja omitido, nada de suspeito seja escrito e nada seja simulado". Cícero.


“O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...” Mário Quintana


Aprimorar a paciência requer alguém que nos faça mal e nos permita praticar a tolerância”. Dalai Lama

"Tudo já foi dito uma vez, mas como ninguém escuta é preciso dizer de novo."  André Gilde. 

“Antes que  o ´Deserto´ me vença, continuarei a teimar em tentar resgatar a história de Itapajé, mesmo que timidamente!” – Ribamar Ramos. 

“NÃO FOMOS, NÃO SOMOS, E NUNCA SEREMOS 
ESQUECIDOS”
"NON FUIMOS, NON SUMUS, ET QUI NUNQUAM OBLITI ERIMUS"
(Ten. Cel. João Paulino de Barros Leal - Presidente da Assembléia Legislativa do Ceará, período 1887-1888)

"Quanto a mim escrevo até este ponto; o que depois se passou, talvez outro queira tratá-lo". - Xenofonte.


Por hoje é só! Voltaremos em uma próxima oportunidade!

 (José) Ribamar Ramos
Fort. 31 de julho de 2017- Domingo
Boa dia / Bom noite!

Fontes e Agradecimentos:

* Pequena Cronologia de Itapajé - Ribamar Ramos
* Entrevista feito pelo radialista JOSÉ IVO MAGALHÃES - Rádio Uirapuru de Itapipoca - Texto fornecido por Ana Maria Xavier e Juscelino Bonfim - por algumas fotos).

PESQUISA e ICONOGRAFIA:
- Ribamar Ramos e outros

Blog da História de Itapajé – www.itapagece.blogspot.com.br  
FaceBook: Ribas Ramos

JOSÉ RIBAMAR RAMOS

WWW.ITAPAGECE.BLOGSPOT.COM.BR 

WWW.TAPERUABA-CE.BLOGSPOT.COM.BR/