quarta-feira, 6 de abril de 2016

HISTÓRIA DE ITAPAJÉ



AS RUAS DE ITAPAJÉ
(algumas)

“Vamos conhecer algumas curiosidade e seus Homenageados!”

Neste dia 6 de Abril de 2016 repito uma postagem feita em 18 de maio de 2012, quando iniciei uma pesquisa sobre esse assunto, que brevemente compartilharei, em seu todo, com vocês. Portanto, vamos (relembrar) e conhecer um pouquinho, os homenageados com nomes de logradouros públicos – Praças e Ruas, de Itapajé. Aqui não será, obrigatoriamente, obedecida uma ordem alfabética, nem cronológica rigorosa. Faremos postagens posteriores abordando outros homenageados.

·        ALTO DA SALGADEIRA, antigo Saquinho, depois Alto do Cruzeiro e mais recentemente Bairro de Fátima.
·        ALTO DAS FERREIRAS, hoje Rua Ferreira Jardim. Tem-se acesso a esse logradouro, pela Rua Teixeira Pinto, em frente à Escola Mons. Catão.
·        ALTO DO BAGAÇO, depois Alto do Morcego, hoje Rua Cordulino Marques.
·        ALTO DO CAMALEÃO, Curral do Matadouro, atualmente (ano 2012), Alto dos Bernardos.
·        ALTO DO PINHEIRO, (Bairro da Exposição), hoje Bairro Esmerino Gomes.
·        AV. ANTONIO BARROSO BASTOS – Toda a extensão da BR 222, do trevo de acessa a Sobral até o Conjunto Alcebíades Barreto - Bairro Ferros (Futuro Bairro São Judas Tadeu).  
·        AV. ANTONIO CARLOS BRAGA, esse logradouro liga a Avenida Major Barreto a BR 222 - Monte Castelo, na realidade o bairro Monte Castelo não existe oficialmente, é na realidade uma homenagem, conforme a Lei Municipal n.º 1015 de 12 de março de 1980, que “Dá denominação a um bairro desta cidade: Bairro Pe. Júlio Maria, situado a margem direita do rio São Francisco até a estação da COELCE, entre os bairros Paulo Vieira de Mesquita e o Conjunto Pedro Rocha. (Francisco Chaves Bastos)”. É triste que poucos saibam verdadeiramente os nomes de todos os bairros de Itapajé. Existe também, outro logradouro que foi denominado de Praça Antonio Carlos Braga, a pracinha que fica em frente à antiga Cadeia Pública, a primeira de Itapajé. Por algum descuido de autoridades competentes, infelizmente existe uma placa no canto esquerdo, de quem observa a velha cadeia pública, erroneamente afixada, com sendo Praça Vicente Porfírio Sampaio. Essa praça também recebeu chancela de Lei municipal da Câmara de Itapajé e foi sancionada por João Batista Braga. É só conferir!  Antonio Carlos Braga nasceu em 9 de fevereiro de 1945 e faleceu, vítima de acidente automobilístico, em 22 de março de 1980. Seus pais eram: Antonio Francisco Braga e dona Luizinha.
·        AV. ANTÔNIO TEIXEIRA PINTO – Bairro Ferros, conforme lei 1293 de 23 de agosto de 1995 tem seu início no Conjunto Alcebíades Barreto, findando no Corte, entrada do antigo aterro sanitário.
·        AV. TICO GOMES – Em homenagem ao comerciante Francisco Ferreira Gomes, de ilustre família local. Era irmão de industrial João Ferreira Gomes, Antônio e outros. Francisco Ferreira Gomes, Tico Gomes, nasceu em 26/02/1909 e faleceu em 23 de junho 1984. Tradicional comerciante de Itapajé, casado com Nenzita, genitores de ilustre família.
·        BAIRRO MANUEL LIMA E SILVA, antigo alto do Urubu, em homenagem ao querido pároco Padre Manuel Lima e Silva. A Lei municipal 1101/A de 16 de setembro de 1988, oficializou esse populoso bairro de Itapajé.
·        BAIRRO PADRE JÚLIO MARIA. Onde fica localizada a subestação da COELCE. Criado pela a Lei n.º 1015 de 12 de março de 1980 – Cria e dá denominação a esse bairro, situado a margem direita do rio São Francisco até a estação da COELCE. O prefeito na época era Francisco Chaves Bastos.
·        BAIRRO RAIMUNDO GAUDÊNCIO BRAGA, antigo Bairro Pedras Brancas, bairro contíguo ao Bairro São Pedro, também criado por lei n.º 1094 - de 6 de dezembro de 1991 – “Denomina de Bairro Raimundo Gaudêncio Braga, o antigo bairro da Pedra Branca, o legislador justifica a homenagem, em virtude aos grandes serviços prestados a esse bairro, pelo homenageado”
·        BECO ANTONIO BARROSO - Paulo Vieira de Mesquita, antiga Piçarra.
·        Beco da Casa de Pau, Beco do Galo, em 1959, posteriormente, Travessa Benjamim Barroso. Mais uma vez, a partir de 30 de agosto de 1965, Travessa José Cláudio, em homenagem a José Cláudio T. de Sousa – 07/10/1941/30/08/1964, recebeu esta última denominação pela Lei n.º 427 de 12 de abril de 1965. (Luís Forte da Silva).
·        BECO DÉLIS CARVALHO – Bairro de Fátima (popularmente e antigamente bairro Monte Castelo, em homenagem, ainda em vida, a Camilo Castelo Félix, um dos maiores beneméritos de Itapajé. Brevemente será feito um resumo biográfico dessa tão importante filho de Itapajé. Na verdade Castelo nasceu em Uruburetama, mas, esses detalhes conhecemos quando de sua abordagem neste Blog. 
·        BECO DO BARATEIRO, depois Beco João de Holanda, em 1959 já era conhecida por Beco do Cap. Rufino Ferra - (nota: Possivelmente esse Rufino Ferra, conforme escrito no original do livro Centenário de Aristóteles Carneiro. No mesmo, Aristóteles ressalva que, trata-se possivelmente de Rufino Ferreira Gomes.
·        BECO DO CORDEIRO, em 1959 já era Travessa Luís Cordeiro.
·        BECO DOS MARCELINOS, depois Travessa Benjamim Barroso, atualmente Travessa José Cláudio, recebeu esta última denominação pela Lei n.º 427 de 12 de abril de 1965, na gestão de Luís Forte da Silva.
·        LARGO BEL. JOSÉ AÍRTON GOMES ROCHA – Em sua homenagem foi dado nome a esse logradouro. Nasceu em Itapajé no dia 19/08/1934, faleceu em 30/08/1967. Também faremos brevemente um resumo biográfico desse ilustre representante das famílias: Gomes Rocha.
·        LARGO MAJOR JOÃO RIBEIRO – Em homenagem a esse tão importante homem que viveu em Itapajé atendendo a um convite de Neutel Pinheiro Bastos, foi por muito tempo tabelião em São Francisco, entre os anos de 1894, a 29 de setembro de 1906, quando faleceu, em 29 de setembro 1906. João Ribeiro Pessoa Montenegro - Filho primogênito de Ignácio Ribeiro Pessoa Montenegro e Constança do Espírito Santo Ferreira Gomes Montenegro, nasceu na Fazenda "Pedrinhas", em Santana. No entanto, sua carreira como tabelião, iniciou-se em Santana do Acaraú, em 1865, prolongando-se, nessa cidade, até 1893, quando se transfere para São Francisco de Uruburetama. Faleceu em São Francisco de Uruburetama, com 63 anos de idade. João Ribeiro teve sua infância e adolescência em Santana do Acaraú, transferindo-se depois para Pernambuco, estudar no Seminário Arquidiocesano de Olinda, seguindo a tradição de alguns de seus ascendentes. Já diácono tonsurado, voltou em férias, acompanhado de um colega seminarista, também de Santana e juntos costumavam passear e estudar na casa de Francisco Anastácio Sousa, pai do colega e de suas lindas irmãs. João Ribeiro, encantado com a beleza de Thereza, a irmã do amigo, deixou de lado a sotaina e a primeira tonsura, e não voltou mais ao Seminário, para receber as Ordens Sacerdotais, tão almejadas pela família. Casou-se em 04-02-1843, com Theresa Aleluia, nasceu em 1849, casou  e faleceu em 1897. Major Montenegro faleceu em 29 de setembro 1906. Veja pequeno resumo biográfico já divulgado neste blog.
·        PRAÇA ANTÔNIO CARLOS BRAGA, antiga Praça da Bandeira. A Lei n.º 1020 de 14 de agosto de 1980, dá denominação a esta praça, situada em frente à CERCA, a antiga Cooperativa de Eletrificação, com sede na antiga cadeia pública. (O prefeito na época era Francisco Chaves Bastos).
·        PRAÇA DUQUE DE CAXIAS, (Atualmente mudou para Praça da Assembleia) em homenagem ao grande herói da história nacional. Nessa praça, quando em tempo de eleição, ajunta-se grande público, composto por: políticos, cabo eleitoras e populares para discutirem os destinos de Itapajé, antes e durante os períodos eleitorais. Após as eleições, normalmente sentem-se decepcionados pelo não cumprimento das promessas que ouviram e não cumpridas!
·        PRAÇA MANUEL LUÍS DA ROCHA. Antiga Praça do Centenário. Em homenagem a Manuel Luís da Rocha, nascido em 06/01/1890, ilustre filho de Itapajé e grande liderança política, prefeito de Itapajé por duas legislaturas, faleceu em 11 de agosto de 1968. Foi o 8.º prefeito de Itapajé de 1934 a 1945. Nomeado prefeito municipal pelo então Governador Cap. Roberto Carneiro de Mendonça (1931–1934), a indicação foi acatada por seu sucessor, Cel. Filipe Moreira Lima (1934-1935), essa gestão durou 9 anos. Como curiosidade pode-se citar que nessa praça existe um marco de localização geográfica da cidade, o “marco zero”.
·        PRAÇA RAIMUNDA MARQUES – (nasceu em 10/02/1910 – Faleceu em abril de 1984). Foi homenageada com o nome desse logradouro, no entanto um fato curioso faz-se necessário evidenciar, a Praça Raimunda Marques é na realidade apenas uma calçada de uma casa, isto mesmo, pois apenas a calçada da casa de José Gabriel (o Pássaro Preto), quando a lei que a criou foi sancionada pelo Prefeito Raimundo Vieira Neto. Espremida entre as Ruas Francisco Sousa, entroncamento das Av. Tico Gomes e Antônio Pereira de Melo. Após a demolição da casa de José Gabriel, no local foi erigido o prédio do Mercantil Avenida. Essa foi a maneira que os poderes Legislativo e Executivo da época encontraram para homenagear essa tão distinta senhora, casado com Mestre João Marques e genitora de ilustre família local. No centro da minúscula Praça colocaram um placa comemorativa, só a placa, que mede aproximadamente 60x50 cm, ocupa no mínimo, 3 a 5% de toda extensão da referida praça. O prefeito da época era Raimundo Vieira Neto. Quem duvidar, que confira.

·        PRAÇA RICARDO (ALVES) CARNEIRO(Atualmente mudou para Praça do Jauro) Em homenagem a esse ilustre filho de Itapajé (Nascido em São Francisco, no dia 3 de abril de 1848 e falecido em 6 de fevereiro de 1931. Casado com Joana Jovelina Alves Carneiro, falecida em 12 de janeiro de 1941 era filha de João de Sousa Bonfim, rico fazendeiro e de Francisca Genoveva Matos e Sousa. Ricardo era filho de Eufrásio Alves Carneiro, nascido em 8 de maio de 1821, filho de Francisco carneiro Figueiredo dos Reis, português, e de Ana Geralda Teixeira Pinto, filha de Custódio Teixeira Pinto e de Ana Maria Moraes. Vale ressaltar que Custódio era filho de Domingos Teixeira Pinto e Inácia Silva de Moraes. Quando sua mãe, Ana era filha de José de Andrade Falheiros e de Maria Francisca Duarte, que era filha de Francisco Duarte Gaia e de Inácia Torres de Oliveira. Ricardo Carneiro era pai de Aristóteles Alves Carneiro, Israel Carneiro e outros. Um fato que chama à atenção é que nessa praça existe uma “Herma”, um Busto de Bronze, em homenagem a Neutel Pinheiro Bastos e pelo fato da praça chamar-se Ricardo Carneiro, muitos, infelizmente, atribuem o referido busto ao homenageado com o nome da praça: Ricardo Carneiro. Ressalte-se ainda que essa praça é mais conhecida, acreditem se quiserem, como Praça do Jauro, em homenagem a José Jauro de Araújo Bastos, morador em uma casa, uma das primeiras, da referida praça. Na década de 2010, essa casa foi demolida, a exemplo de tantas outras, pois em Itapajé não existe nenhum interesse em preservar o “Patrimônio Arquitetônico”, para dar lugar a uma galeria de lojinhas de comércio. Que pena! É o progresso ajudando e satisfazendo aos que nada sentem por sua cidade!
·        PRAÇA SANTOS DUMONT, em homenagem a esse ilustre brasileiro. Na realidade se chamava de Praça Santos Dumont, o logradouro perpendicular as Ruas Major Joaquim Alexandre – em frente ao comércio atualmente de Euclides Ricardo de Sousa, filho de Dona Eulália, ligando, ao seu final a Rua Manuel Luiz da Rocha, a Rua dos mercantis. Infelizmente, dado sua semelhança a uma Favela, durante a gestão Ari Bastos, foi erigido um Barracão, (a Favela do Ari Bastos) para dar condições de comércio e sobrevivência, muito elogiável se fosse “urbanizada”, a muitos pais de família.
·        PRAÇA VICENTE PORFÍRIO SAMPAIO (Capitão), Localizada atrás da Igreja Matriz e da Capela da Esperança. Foi criada pela Lei n.º 659 de 21 de outubro de 1970, no final da gestão Jauro Bastos. Nasceu em 08/07/1860. Era casado com Maria Pinheiro Santos Bastos – Mariazinha, nascida em 21 de janeiro de 1887. Faleceu em 19 de agosto de 1942.
·        RUA ABIGAIL PEIXE, próximo ao cemitério, casada com Eustáquio Peixe, genitores de ilustre família local.
·        RUA ALBA VALDEZ – Em homenagem a escritora itapajeense, pertencente a "Padaria Espiritual", seu nome verdadeiro era Maria Rodrigues. A Lei que deu nome a esse logradouro foi de autoria do vereador Julimar Teixeira Sampaio e recebeu o n.º 1209, de 19 de fevereiro de 1993, o prefeito da época era João Batista Braga. Brevemente faremos um resumo biográfico dessa ilustre filha de Itapajé.
·        RUA ALCIDES SALES BASTOS, odontólogo, maestro e benemérito de Itapajé. Brevemente faremos um resumo biográfico desse ilustre filho de Itapajé.
·        RUA ALEXANDRE EUCLIDES BARROSO, pai de Euclides Barroso. Brevemente faremos um resumo biográfico desses ilustres filhos de Itapajé.
·        RUA ALEXANDRE EUCLIDES BARROSO – Xandim Barroso – Genitor de Joaquim Euclides Barroso. Foi criada pela lei n.º 1211 de 5 de março de 1993, durante a gestão de José Cristóvão de Araújo Cruz.
·        RUA ÁLVARO BASTOS - (Álvaro Otoni de Assis Bastos), 11.º prefeito de Itapajé, em 1946. Filho de Francisco de Assis Bastos e de Antonia Aurora Bastos. Foi um dos fundadores do Clube Progressista, fundado em 1903, que funcionava em uma casa em frente à agência do antigo Banco do Estado do Ceará – BEC e atualmente uma agência do Bradesco. O Clube Progressista era uma espécie de escola para adultos. Na década de 50. Seu principal membro (diretor) foi Francisco Ribeiro Pessoa Montenegro Filho, o major Fancudo, (é Fancudo mesmo), nascido em 19 de dezembro 1885, que viria a ser o também prefeito, indicado de São Francisco. Ainda não éramos chamados de Itapajeenses, sim sanfrancisquences. Somente a partir de 20 de julho de 1943 é que passamos a ser itapajeenses. 

Em postagens futuras abordaremos outros homenageados.


TEXTO PARA REFLEXÃO

"Quem faz jus ao título de "GRANDE HOMEM"?

Não sei...
O homem inteligente?
Não basta ter inteligência para ser grande...
O homem poderoso?
Há poderosos mesquinhos...
O homem religioso?
Não basta qualquer forma de religião... Podem todos esses homens possuir muita inteligência, muito poder, e muita religiosidade - e nem por isso são grandes homens.
Pode ser que lhes falte certo vigor e largueza, certa profundidade e plenitude, indispensáveis à verdadeira grandeza.
Podem os inteligentes, os poderosos, os virtuosos não ter a verdadeira liberdade de espírito...
Pode ser que as suas boas qualidades não tenham essa vasta e leve espontaneidade que caracteriza todas as coisas grandes.
Pode ser que a sua perfeição venha mesclada de um quê de acanhado e tímido, com algo de teatral e violento.
O grande homem é silenciosamente bom...
É genial - mas não exibe gênio...
É poderoso - mas não ostenta poder...
Socorre a todos - sem precipitação...
É puro - mas não vocifera contra os impuros...
Adora o que é sagrado - mas sem fanatismo...
Carrega fardos pesados - com leveza e sem gemido...
Domina - mas sem insolência...
É humilde - mas sem servilismo...
Fala a grandes distâncias - sem gritar...
Ama - sem se oferecer...
Faz bem a todos - antes que se perceba...
"Não quebra a cana fendida, nem apaga a mecha fumegante - nem se ouve o seu
clamor nas ruas..."
Rasga caminhos novos - sem esmagar ninguém...
Abre largos espaços - sem arrombar portas...
Entra no coração humano - sem saber como...
Tudo isso faz o grande homem, porque é como o Sol - esse astro assaz poderoso para sustentar um sistema planetário, e assaz delicado para beijar uma pétala de flor.."

Texto original de Huberto Rohden

FRASE DO DIA

“O homem sem uma religião, seja ela qual for, não vive plenamente”. Ossian Gomes –      (Raimundo Gentil Ferreira Gomes) Agropecuarista e benemérito de Itapajé.


 
Ribamar Ramos
Boa noite/Bom dia!
6 de abril de 2016

Postada originalmente em 18 de maio de 2012.

sábado, 2 de abril de 2016





NOTA DE FALECIMENTO


ENOCA RAMOS MARANHÃO

Comunicamos aos Familiares e Amigos, o falecimento nessa madrugada, de 2 de abril de 2016 - (1 hora da manhã, em Fortaleza), de ENOCA RAMOS MARANHÃO – viúva de Pedro Maranhão Filho.

Enoca era a filha Primogênita de TEÓFILO RAMOS NETO e MARIA BASTOS RAMOS. O Sepultamento será em TAPERUABA - (Distrito de Sobral) – no período da tarde de hoje (2 de abril). 

Disse-lhe Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?"
João 11:25-26







Fica com Deus, minha irmã. Que Ele te acolha e a abençoe!
(Ribamar Ramos - 2 abril de 2016)

quinta-feira, 31 de março de 2016


ANIVERSÁRIO DE SAUDADE
47 Anos de Saudade
(17167 dias)

RAIMUNDO VIEIRA FILHO





TÚNEL DO TEMPO DA HISTÓRIA DE ITAPAJÉ

ANIVERSÁRIO DE SAUDADE
47 Anos de Saudade
(17167 dias) de:
RAIMUNDO VIEIRA FILHO
e
Outros fatos e efemérides da História de Itapajé
Dos Meses de Março, na História de Itapajé

31 de março de 1969 – Segunda feira.
Falece em Iratinga Raimundo Vieira Filho. Gozou de grande influência,  tanto social quanto política. Era tido como uma espécie de Getúlio Vargas, dado sua atuação junto ao homem pobre. Foi casado com a Sra. Josefa de Matos Vieira, tendo com esta, três filhos: Raimundo Vieira Neto,  ex prefeito de Itapajé e, sem a menor dúvida o mais carismático líder político de Itapajé. Sua calma e paciência rendeu-lhe a amizade e admiração de muito Itapajeenses. (veja artigo com maiores detalhes, na seção  Grandes Vultos de Itapajé); Maria do Socorro, casada com o Sr. Francisco Brandão, comerciante local e, finalmente,  José Alberto Vieira, ex vereador por diversas legislaturas. Nasceu em 14/08/1912. 
Abaixo, maiores informações sobre esse tão carismático líder político de Itapajé:



RAIMUNDO VIEIRA FILHO – O CONSTRUTOR DE SONHOS

Raimundinho Vieira, como era conhecido em Itapajé e em outras regiões, demonstrou grande poder de liderança, fato que lhe promoveu a administrador dos negócios da família. Foi inicialmente alfabetizado por sua irmã, D. Hermelinda, carinhosamente chamada de Tiinha. 
Irene Delne, nossa amiga e colaboradora, acrescenta: Hermelinda que, ainda aluna interna do Colégio da Imaculada Conceição em Fortaleza iniciou um "mau irreversível" que lhe levou a paralisia dos membros inferiores, era carinhosamente chamada Tiinha. Segunda filha do casal Angélica (Andrade Pinto) Araújo Vieira e Raimundo Vieira de Azevedo. O primogênito era Luís Araújo Vieira, agrônomo, casado com Nana Ribeiro. Terceira filha Nenzita, quarto José Vieira, quinto Raimundinho, sexto Joãozito e sétimo Carmencita”.
 Continuo seus estudos com a professora D. Fransquinha Porfírio Pinto de Mesquita, professora diplomada, muito conceituada e competente.
Seus irmãos foram estudar na capital, em bons colégios. Raimundinho, no entanto optou em permanecer em São Miguel, exercendo as atividades de comerciante e agropecuarista. A cada dia seu carisma e simpatia cresciam cada vez mais, junto a seus conterrâneos e a quem com ele mantinha um contato mais próximo. Estavam, pois lançados os alicerces de sua longa e profícua carreira política, que só seria interrompido com sua morte, em 1969.
A admiração recebida devia-se a seu modo simples e carinhoso de tratar seus amigos, em especial, os mais humildes. Esses fatos, muito contribuíram, para sua carreira política.
Ingressou na política, por intermédio do Sr. Manuel Luiz da Rocha, no Partido Social Democrático – PSD. Sua humildade não permitiu aceitar, de imediato, a indicação que lhe fora feito, para disputar o cargo de prefeito nas eleições de 1947. Achava que o bloco partidário deveria ser mais fortalecido. Em seu lugar deveria concorrer, seu cunhado, Expedito Matos, genro do Cel. Júlio Pinheiro Bastos, de Santa Cruz. Nessas eleições concorreu e venceu, pois se elegeu vereador, com expressiva votação.
No ano de 1950, contando com apoio incondicional de João da Silva Mota, no Retiro; Luís Forte da Silva, de Pitombeiras; Júlio Pinheiro Bastos, de Santa Cruz; Cassim Dutra, de Irauçuba, que na época era distrito de Itapajé; Manuel Luiz da Rocha, representando as tradicionais famílias Gomes e Rocha; e de dezenas de cabos eleitorais. Seu antagonista era o Sr. Raimundo de Araújo Bastos, o Sr. Mundinho Bastos, da U.D.N.,  Raimundinho vence as eleições e consolida sua liderança política; que só seria interrompida com sua morte.
Via em seus adversários políticos, futuros aliados, por isso sempre os tratava com carinho e respeito. Merece destaque esse modo de cortês de tratar. Dispensava também igual respeito ao Sr. Aristóteles Alves Carneiro, que naquele tempo costumava dizer: “O diabo desse negro de São Miguel não vai perder nunca?”, dizia referindo-se a crescente simpatia que Raimundinho Vieira, angariava diariamente.
No ano de 1954 indicou, para sucedê-lo na prefeitura, o Cel. Júlio Pinheiro Bastos, eleito com folgada margem, Na vacância do cargo de prefeito, devido ao afastamento de Júlio Pinheiro, assume Expedito Matos, que completaria o mandato. Esse fato o impossibilitou Raimundo Vieira Filho, a concorrer à prefeitura, nas eleições seguintes, de 1958. (por ser cunhado de Expedito Matos, que assumira a prefeitura, em substituição a Júlio Pinheiro Bastos).
Com o novo quadro político do momento, assim, Indica seu irmão, José Araújo Vieira, tendo como vice o jovem bacharelando José Aírton Rocha, quando pela primeira vez na história de Itapajé aparece a figura de vice prefeito. Zé Vieira foi eleito, também com grande maioria.
Na gestão de seu irmão, foi nomeado secretário da prefeitura, e nessa função, mais uma vez, elege os problemas sociais, em especial, dedicados aos mais humildes. Mais uma vez, para maior aborrecimento de seus adversários, seu prestígio aumenta. 
A liderança de Raimundinho continuava em grande evidência, a ponto de, mais uma vez, indicar os candidatos para disputarem as eleições de 1962. Os candidatos eram os Srs. Luís Forte da Silva e Manoel Deoclides de Sousa. Mais uma vez sua facção partidária saiu vitoriosa, elegendo Luis Forte da Silva. A vitória de seu candidato foi retumbante. 
Em 1966 seus dotes de persuasão foram, mais uma vez, testados. Provou o grande líder e exímio articulador político havia se transformado. Qualidades de político que enxerga longe, sempre deixando boquiabertos os observadores, principalmente os adversários.
Posteriormente conseguiu o que parecia impossível: Unir Deus e o mundo. Os partidos, agora já eram ARENA E M.D.B. Chamou, com anuência dos caciques da extinta U.D.N., Raimundo de Araújo Bastos – Mundim Bastos e Luis Gonzaga Saraiva; o Udenista, José Jauro de Araújo Bastos, para se candidatar a prefeito, tendo, como vice, Dimas Bastos Forte. O próprio Raimundinho se lançaria candidato a Deputado Estadual. A ex U.D.N. e o ex P.S.D., cumpriram seus papeis e ei-lo eleito deputado estadual, com votos de seu município. Gerson Ferreira, fiel companheiro de lutas, comentava na época: “Foi uma lambuja”.
No Livro “Centenário de uma cidade” de Aristóteles Alves Carneiro, existe uma foto – provavelmente do ano de 1956, em que aparece no prédio da atual sede da Prefeitura Municipal, à pintura com o nome: GRUPO ESCOLAR, confirmando que nesse endereço, atual Rua Major Joaquim Alexandre, 140, funcionou por um período bem logo, 1934 - ou um pouco antes, até posteriormente à data da referida fotografia.
As principais denominações foram: Escolas Reunidas de São Francisco de Uruburetama, Escola Ruralista de São Francisco e finalmente, Grupo Escolar.
Raimundinho, quando prefeito, conforme “Lei municipal nº. 173 de 16 de outubro de 1954, a prefeitura, por intermédio do prefeito municipal, Raimundo Vieira Filho, adquire um terreno do Sr. Antônio Vicente Ferreira e de sua mulher Maria Pinto Ferreira, no valor de Cr$ 50.000,00 – (cinquenta mil cruzeiros) para construir Grupo Monsenhor Catão, na atual Rua Teixeira Pinto”.
Após a construção da sede Própria, que ocorreu em 1953, recebeu o nome de Grupo Escolar Mons. Catão Porfírio Sampaio, em homenagem póstuma a seu idealizador, padre Catão, (7.º Vigário de São Francisco, atual Itapajé).
 Abaixo, algumas outras curiosidades sobre a gestão Raimundinho Vieira: pela n.º 85 de 4 de maio de 1951 – Aquisição de Usina de Força e Luz para o Distrito de Irauçuba, no valor de Cr$ 150.000,00 – (Raimundo Vieira Filho).
Com a Lei n.º  98  de 7 de novembro de 1951 - Loca verba para calçar com pedras toscas, nas Ruas: Major Joaquim Alexandre, Dr. Hermógenes de Oliveira - (atual Dom Aureliano Matos), travessa Benjamim Barroso (atual Trav. José Cláudio) e praça da Matriz – (Manuel Luís da Rocha).

OUTRRAS LEIS:
Sancionadas por Raimundo Vieira Filho:

Lei n.º 112 de 3 de outubro de 1952 – Autoriza a prefeitura, através do prefeito municipal, Raimundo Vieira Filho, a comprar o prédio pertencente a Paróquia São Francisco de Assis, por intermédio de seu pároco Pe. José Theógenes Gondim, onde seria a sede da prefeitura e que funcionava uma escola. – O antigo Grupo Escolar, lei sancionada por Raimundo Vieira Filho.

A Lei n.º  116  de 8 de novembro de 1952 – Considera de Utilidade pública o Patronato São José – a Lei diz – A Câmara Municipal de Itapajé decretou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei - Art. 1.º - Fica considerado de utilidade pública o Patronato São José, fundado nesta cidade em fevereiro de 1946. Art. 2.º - A presente Lei entrará em vigor na data de sua publicação ou fixação, revogadas as disposições em contrário. Paço da Prefeitura Municipal de Itapajé, 8 de novembro de 1952 - (Raimundo Vieira Filho). Pela Lei n.º 10.005 da Assembleia Legislativa, em projeto enviado pela Deputada Zélia Mota, Publicada em 13/05/1976: (Também) Considera de utilidade pública O PATRONATO SÃO JOSÉ, em Itapajé - Ceará.

Lei n.º  160  de 18 de junho de 1954 - A Prefeitura Municipal de Itapajé faz a doação de um terreno no bairro Saquinho - (atual bairro de Fátima), adquirido de Francisco Peixe da Natividade, medindo um hectare. A doação foi feita ao Governo do Estado - (1954 - 1955 - Stênio Gomes da Silva), para a construção do Grupo Escolar Professora Estefânia Matos (e que viria a ser construído na gestão de Jauro Bastos 1966/70) – (Raimundo Vieira Filho).

Lei n.º 182 (municipal) de 12 de novembro de 1954 - Altera a Lei n.º 56 de 13 de outubro de 1949, que cria Empresa Municipal de Luz e Força. Cancela o abatimento de 50% do preço da energia, aos funcionários públicos, Estaduais e Federais. (já na gestão de Raimundo Vieira Filho).

Lei n.º  173  de 16 de outubro de 1954 - A prefeitura, através do prefeito municipal, Raimundo Vieira Filho, adquire um terreno do Sr. Antônio Vicente Ferreira e de sua mulher Maria Pinto Ferreira, no valor de Cr$ 50.000,00, onde será construído o Grupo Monsenhor Catão, na atual Rua Teixeira Pinto. – (Raimundo Vieira Filho).
Quando Vereador, Raimundinho era frequentador assíduo nas sessões da Câmara Municipal de Itapajé, nas datas abaixo, estavam presentes os seguintes vereadores. (Obs: aqui é considerado o final da gestão: Francisco Teixeira Braga).



Gostaria de esclarecer que a relação acima, sobre a presença de Raimundinho tem o objetivo de mostrar o zelo que tinha para com o exercício do mandato delegado pelo povo de sua terra.
Raimundinho faleceu em Iratinga, no dia 31 de março de 1969 – Segunda feira, cercado por seus familiares e amigos. Encerrava-se ali a grande influência, tanto social quanto política de Itapajé. Era tido como uma espécie de Getúlio Vargas, dado sua atuação junto ao homem pobre. Foi casado com a Sra. Josefa de Matos Vieira, tendo com esta, três filhos.


OUTRAS EFEMÉRIDES DE MARÇO


TÚNEL DO TEMPO DA HISTÓRIA DE ITAPAJÉ


16 de março de 1772 – Segunda feira. Nasceu: MARGARIDA FURTADO DE MENDONÇA, filha Matias Vidal de Negreiros e Mariana de Vera Cruz. Margarida era casada com Francisco Miguel de Andrade, nascido no dia 12 de fevereiro de 1786. Aristóteles Alves Carneiro era bisneto desse casal.  Ao casal Margarida/Francisco Miguel e seus descendentes, com o apoio de outros, dentre eles Francisco Teixeira Bastos devemos a construção da primeira Capela e posterior Igreja Matriz de São Francisco de Uruburetama, demolida na década de 1960, no Paroquiato de Padre Manuel Lima e Silva e na gestão Jauro Bastos – 1966-1970. Margarida faleceu em 27 de setembro de 1809 – Quarta feira.


16 de março de 1851 – Domingo. Nasceu: JOSEFA RODRIGUES DE MATOS, casada com JOAQUIM ALEXANDRE DE MATOS, pais de Dom Aureliano Matos e outros. Faleceu no dia 11 de setembro de 1928 – Terça feira.


16 de março de 1859 – Quarta feira. Nasceu: ESMERINO RUFINO FERREIRA GOMES, patriarca de ilustre família da região de São Francisco de Uruburetama. Foi vereador pelo município de são Francisco da Uruburetama, por duas legislações: 1920 e 1924. Faleceu no dia 22 de dezembro de 1928 - Sábado.     

16 de março de 1916 – Quinta feiraNasceu: AVELINO BERNARDO FORTE, um dos primeiros filhos - (de 10) de Antonio Barroso Forte e Verônica Bernardo Forte. Nasceu na Fazenda Macacos, em Tejuçuoca. Os avós paternos eram: Francisco Barroso Forte e Luíza Teixeira Barroso  - (primos e descendentes do Capitão Pedro Barroso Valente e Maria Moreira de Sousa,  irmã do Padre Joseph Moreira de Souza).
Avelino era casado com Isabel Dalila Araujo Bastos, filha de Pedro Queirós Bastos e de Maximina Georgina Pinto de Araujo, filha de João Pedro Pinto de Araujo e de Joana Andrade – Mãezinha.
Da união Avelino/Dalila nasceram os seguintes filhos: Irene Delne, Dimas, Deldy, Deuselith, Avelino Filho e Danilo.
Avelino exerceu forte liderança em Itapajé, principalmente na região de Tejuçuoca. Líder nato dizia: “Não me mancomuno, nem me submeto!”. Faleceu no dia 22 de julho de 2006.


 AVELINO BERNARDO FORTE

 AVELINO BERNARDO FORTE

AVELINO BERNARDO FORTE

16 de março de 1993 – Terça feiraFaleceu: AMADEU LIRA BASTOS, representante de tradicional família local. Nasceu no dia 11/06/1942.

16 de março de 2009 – Segunda feiraPela a Lei municipal Nº 1.692/2009 - Modifica o nome da Praça Duque de Caxias, no Município de Itapajé, ficando agora denominada de “PRAÇA DA ASSEMBLÉIA DE DEUS”. O projeto foi de autoria do vereador Batista Lira e foi sancionada pelo prefeito municipal.

Praça da Assembleia de Deus
(Antiga Praça Duque de Caxias)

CONTINUAÇÃO....

28 de março de 1950 – Terça feira.
Nesse dia, na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Itapajé estavam presentes os seguintes vereadores: MANOEL LUÍS DA ROCHA – Presidente da Câmara; JOSÉ AUGUSTO ROCHA e SILVARAIMUNDO RUFINO GOMES e ANTÔNIO FERREIRA PRIMO.

 

28 de março de 1980 – Sexta feira.
Falece ANTÔNIO FERREIRA GOMES. Filho de Rufino Ferreira Gomes e Maria Jacinta Cavalcante – (Casados em 7 de junho de 1838). Comerciante e agro-pecuarista, representante de ilustre família desta cidade. Casado com Maria Amélia Ferreira Gomes.  Dessa união nasceram: Raimundo Gentil Ferreira Gomes – Ossian; José Augusto, Esmerino e outros. Nasceu em 04/07/1894.


28 de março de 1999 – Domingo.
A Seleção de Futebol de Itapajé disputa jogo, no Estádio Presidente Vargas, contra o América de Fortaleza. A seleção Itapajeense venceu a equipe de Fortaleza, pelo placar de 3X0. Os gol´s foram marcados por: Dindô (2) e Fernando (1). A Seleção de Itapajé foi escalada com os seguintes atletas: Potiguara, Eranildo, Evaldo, C. Antônio, Arnoldo, Fernando (Ernane), Oliveira (Cleomar), Mauricélio, Forte (Danilo), Dindô e Ivanzinho. O técnico era Zé Neto. A Seleção de Itapajé tinha, como dirigentes os seguintes senhores: Presidente da Liga Itapajeense: Dr. Marcos Narbal; Vice: Itamar Monteiro; Diretor de Esporte: Dr. Cunha e Tesoureiro: Tabosa Filho.  



28 de março de 2008 – Sexta feira.
Nessa data faleceu: ALEXANDRE EUCLIDES BARROSO – Xandin. Filho de Alexandre José Rodrigues e Ana Rodrigues de Sousa. Patriarca de ilustre família local. Era genitor de Joaquim Euclides Barroso. Xandin nasceu em 29-12-1895.

28 de março de 2012 – Quarta feira.
Nesse dia, cedinho da manhã, triste para a comunidade de Itapajé, falece, de forma repentina, nosso amigo RIGOBERTO SIQUEIRA FONTENELE. Nasceu na “doce Viçosa do Ceará”, forma carinhosa de como se referia a sua terra natal. Mário Moreira da Silva, nosso amigo comum, também falecido dizia: “Oh! Caboclo bairrista!”.
Rigó, forma carinhosa, de como era tratado por seus amigos mais próximos nasceu no dia 6 de janeiro de 1957, na serrana cidade ibiapabana, de Viçosa do Ceará. Seus pais eram: Juarez Fontenele e Maria Alice Siqueira.
Chega a Itapajé, precisamente, uma semana antes da fundação da agência do banco do Brasil, em Itapajé – que se deu no dia 24 de Setembro de 1976, que teve como o primeiro gerente o Sr. João José Magalhães. O Prefeito municipal da época era o Sr. Luiz Gonzaga Saraiva. Ingressa nos quadros de funcionários, exercendo funções de relevância secundária. Quando de seu falecimento (28 de março de 2012) já exercia os mais altos cargos administrativos, dentro daquela entidade. Cargos funcionais, merecidamente conquistados, pela perseverança e competência! Gerenciou diversas agências do Banco do Brasil, dentre elas: Tejuçuoca e Irauçuba.
No dia 24 de setembro de 1976, une-se em matrimônio com a jovem Silvania Gomes, filha de Jose Augusto Ferreira Gomes e Edcilda Carneiro. Ele, filho de Antonio Ferreira Gomes e Maria Amélia e ela – Edcilda – filha de Edson Bastos Carneiro e de dona Hilda. Dessa longeva união – Rigoberto e Silvania - nasceram seus quatro filhos: Calbyr, Ramom, Roger e Cayline. Seus filhos deram-lhe três netos: Rigoberto Neto, João Gabriel e Rillary.
No dia 6 de janeiro de 2000 – Sábado - Unem-se em matrimonio Calbyr e Kylwya, tendo como principal e especial testemunha, seu filhinho Rigoberto Neto. Ela filha de Francisco Glerton de Lima e Narau Bastos Lima. Calbyr, filho de Rigoberto Siqueira Fontenele e Silvania Gomes Fontenele. A Solenidade Religiosa foi na Igreja Matriz de Itapajé. Os recém casados receberam os cumprimentos de familiares e amigos, na Fazenda Conceição, neste município.
Rigoberto conseguiu atrair a amizade e o carinho de toda comunidade de Itapajé e, igualmente, das cidades em que prestou serviços, como funcionário do Banco do Brasil. Seu falecimento, prematuro e repentino, causou uma grande tristeza nessas comunidades, dado à forma gentil e delicada do tratamento dispensado às pessoas.
A Pescaria, normalmente aos domingos, quase sempre com “seu time”, formado, dentre outros por: Eldo Rios Lousada, Chico Saraiva, Tony português, Mário Moreira, César Costa, Gerardinho Rocha e seu filho Marcelo, Isaac Cruz e Ribamar Ramos. Pescarias maravilhosas!
Nas quintas feiras, quase sempre, no bar no Tio Nego – Piçarra, também em boas companhias, umas cervejinhas eram de “lei”! Os companheiros eram seus mais achegados amigos: Carlos Augusto – seu cunhado, Chico Saraiva (Raul) Henrique Oliveira Dutra – infelizmente já falecido; Alísio Sales e Robson, quase sempre estavam na “bancada do Tio Nego!
Fica, pois aqui, o registro desses três anos de saudades do amigo e companheiro RIGÓ. Que Deus lhe acolha, entre seus eleitos! Aos familiares: Silvania, filhos, netos e demais, que sejam resignados com a decisão de Deus. A nós, dê-nos igual aceitação. Até um dia, caro amigo Rigoberto, quando nos encontrarmos para “novas pescarias”!!! (Ribamar Ramos – 28 de março de 2015 – três anos de saudades!










FRASE DO DIA

“Coloque a lealdade e a confiança acima de qualquer coisa; não te alies aos moralmente inferiores; não receies corrigir teus erros”. – Confúcio

Por hoje, 31 de março de 2016 é o que tenho para contribuir, mesmo que modestamente, para um melhor conhecimento de nossa Rica História. Nossos conterrâneos precisam conhecer melhor seus filhos ilustres e os principais fatos de sua história. Acredite: É possível tornar a História de Itapajé mais conhecida, principalmente por e para seus filhos!  Basta não desistir!!!" Ribamar Ramos. 


FRASE DO DIA

“Coloque a lealdade e a confiança acima de qualquer coisa; não te alies aos moralmente inferiores; não receies corrigir teus erros”. – Confúcio


"Quanto a mim escrevo até este ponto; o que depois se passou, talvez outro queira tratá-lo". - Xenofonte.

  Ribamar Ramos          
Fortaleza 31 de março de 2016
  BOA NOITE / BOM DIA

Obs.:
Dependendo da disponibilidade, acrescentarei uma gravação, em áudio, em que o ex Governador Adauto Bezerra, em um Comício em Itapajé, fazendo justos e elogiosos comentários sobre o Sr. Raimundo Vieira Filho. (Ribamar Ramos).